Pesquisar neste blogue

terça-feira, 3 de maio de 2011

Casa dos Bicos


Por Bruna Santos

A Casa dos Bicos, também conhecida por Casa de Brás de Albuquerque, foi construída em 1523, a mando de D. Brás de Albuquerque, sendo destinada a habitação. Situa-se a oriente do Terreiro do Paço.
A sua fachada é revestida de pedra em forma de ponta de diamante, os "bicos", sendo um exemplo único de arquitectura civil residencial no contexto arquitectónico lisboeta. Os "bicos" demonstram uma clara influência renascentista italiana. Na verdade, o proprietário da Casa dos Bicos mandou-a construir após uma viagem sua a Itália, onde terá visto pela primeira vez o Palácio dos Diamantes. No entanto, a distribuição irregular das janelas e das portas, de dimensões e formatos distintos, conferem-lhe um certo encanto, reforçado pelo traçado das janelas dos andares superiores.
O terramoto de 1755 acabou por destruir este edifício, nomeadamente os dois últimos andares. A família Albuquerque vendeu-a em 1973, tendo até então sido utilizada como armazém e como sede de comércio de bacalhau.
Em 1983, por iniciativa do comissariado da XVII Exposição Europeia de Artes, Ciência e Cultura, foi reconstruída (foram acrescentados os dois andares que haviam sido destruídos), tendo servido como local de exposições. Na Casa dos Bicos funcionam, actualmente, serviços da Câmara Municipal de Lisboa. Contudo, os representantes da Câmara e da Fundação adiantaram que a Casa estará aberta a Lisboa e à Cultura, que será um centro de debates de ideias, encontros literários, apresentações de livros, recitais, projecções de cinema não comercial, exposições e outras propostas. Cinco andares para a cultura e para o debate cívico no centro de Lisboa: esse é o projecto da Fundação José Saramago para a Casa dos Bicos, desta forma restituída ao uso público.
Morada: Rua dos Bacalhoeiros - 1100-135 Lisboa
Telefone: 218 810 900


Sem comentários:

Enviar um comentário