Pesquisar neste blogue

domingo, 27 de março de 2011

História

Baixa de Lisboa - antes de 1755
Por Bruna Santos

A baixa de Lisboa, também conhecida por “Baixa Pombalina, apresentava-se profundamente medieval antes do terramoto de 1755. As suas ruas, na maioria estreitas, entrelaçavam-se, em padrões confusos, ficando as praças viradas para o rio. O Terreiro do Paço era visto como o centro político da cidade, e a sua importância justificava-se pela existência do grande porto que abastecia o país com matérias-primas importadas do Brasil.

Terramoto de 1755

Considerada a maior catástrofe natural da História do nosso país, o terramoto de 1755 vitimou entre 12 000 a 15 000 pessoas e destruiu cerca de 10 000 edifícios. O violento terramoto foi acompanhado por um maremoto que varreu o Terreiro do Paço e por um gigantesco incêndio que, durante 6 dias, completou o cenário de destruição de toda a Baixa de Lisboa.
Nesse mesmo ano, o problema da reconstrução centrou-se na questão de construir uma nova cidade sobre os escombros da antiga ou construir uma nova cidade em Belém, zona menos sujeita a abalos sísmicos. Foi escolhida a primeira das soluções. Foi então que se ergueu a Praça do Rossio, o Arco da Rua Augusta e as ruas paralelas e perpendiculares tal como são actualmente concebidas.
No entanto, alguns monumentos, como o Convento do Carmo, não foram restaurados, para simbolizar o trágico acontecimento.

Baixa de Lisboa - após 1755

À cidade medieval de ruas estreitas deu lugar um traçado racional de linhas rectas, cuja altura dos prédios é semelhante. De toda a cidade pombalina, assim designada por ter resultado da obra de reconstrução do Marquês de Pombal, destaca-se a Praça do Comércio, considerada "sala de entrada" da cidade, com a estátua equestre de D. José I, monarca da altura.
Actualmente é um dos locais mais visitados da cidade. Os seus edifícios apresentam uma arquitectura semelhante - com rés-do-chão comerciais e andares superiores para habitação - , enquanto que as suas estruturas são anti-sísmicas, como forma de prevenção de um novo terramoto.
A 7 de Dezembro de 2004, a baixa lisboeta tornou-se candidata a Património Mundial. Alguns dos seus principais pontos de interesse turísticos são o Elevador de Santa Justa, a rua Augusta, a Praça do Comércio e os armazéns do Chiado.

Sem comentários:

Enviar um comentário